quarta-feira, 25 de julho de 2018

A fotografia é uma arte e uma terapia!

A fotografia é a forma mais acessível de arte. Não
importa como e para que você faz fotos. Independente
de ser uma atividade lucrativa ou simples
passatempo, todos os fotógrafos, ou pelo menos a maioria deles, são unânimes em dizer: fotografia
também é terapia.
Não existem duas fotografias iguais no mundo, cada
instante é único e jamais se repetirá. Cada olhar é único,
e mesmo que duas fotografias tenham sido tiradas
no mesmo momento, sobre o mesmo motivo, com
equipamentos iguais, cada uma terá o traço de quem a fotografou.
Mas como a fotografia pode ser uma terapia?
Quando você está fotografando, ou seja,
concentrado no seu equipamento, no seu objetivo e
nas configurações da câmera, seu cérebro
foca no resultado, e todos os pensamentos negativos
desaparecem ou perdem sua intensidade nesse momento.
E mais, se você não sente vontade de sair de casa ou sequer da cama, quando
você começar a observar suas lindas imagens, produções SUAS, com certeza
a motivação para sair correndo da cama será imediata.
Que tal tentarmos?

terça-feira, 24 de julho de 2018

Vivendo com diabetes





                                      Tatuar o símbolo do diabetes pode salvar sua vida!



A maioria das pessoas não encaram muito bem o fato de ter diabetes. A Revolta, o desânimo e a depressão são comuns na população diabética. O maior desafio é aceitar que somos portador de uma doença crônica e que precisa mudar os hábitos de vida para sempre.
Muitas pessoas ficam perdidas nesse processo, isso é mais comum do que se possa imaginar. 
É uma doença cruel, faz estragos silenciosamente, age  em cada célula nossa e para quem está de fora, não temos nada, não estamos doentes... 
A noção de tudo só chega quando algum estrago maior acontece, quando tivermos a visão afetada,  a audição prejudicada, a função renal comprometida ou  sofrermos uma amputação, talvez. Nessa hora já se passou tempo demais e perderam-se muitas oportunidades preciosas de evitarmos o pior.
Quantos tem noção do que são as “hipos” horrorosas e  quanto o medo de que elas aconteçam em lugares difíceis nos façam deixar de tomar a insulina com exatidão ou nos levem a comer um maldito doce para garantir que elas não aconteçam?
Difícil  entender o significado de termos que carregar sempre uma "injeção" para onde for e talvez mais difícil ainda entender a necessidade de cumprirmos  horários para nos alimentarmos e tomarmos/fazermos a medicação com tanta pontualidade.
E quando surgem as dúvidas, nos intervalos entre as consultas médicas, a quem vamos recorrer? Depois de 18 anos, eu ainda não sei...

 Porque tatuar o símbolo do diabetes?
 A medida visa facilitar a identificação rápida da doença em casos de emergência ou acidentes, em que a pessoa esteja desacordada. Isso permite que os profissionais de saúde entrem com a medicação correta, podendo salvar vidas.